Câncer de Próstata

cancer de prostata

O Câncer de Próstata é a neoplasia mais diagnosticada.  Estima-se que no Brasil sejam diagnosticados 53.000 novos casos por ano e que cerca de 8.000 mortes sejam em decorrência desta patologia. O risco de câncer de próstata aumenta com a idade e afro-descendentes bem como pacientes com histórico familiar (pai ou irmão) com tumor de próstata possuem maior risco.

 Esta patologia é alvo de diversos estudos. Com a introdução do PSA (Antígeno Específico da Próstata) em conjunto com o exame digital da próstata (toque retal), o diagnóstico tende a ser mais precoce e as chances de cura cada vez maiores.

O PSA é um antígeno especifico da próstata, mas não é um marcador específico de Câncer, ou seja,  outras causas podem elevar os níveis de PSA no sangue  tais como:  aumento benigno da próstata, inflamação da próstata, infecções, toque retal.

O  Câncer de Próstata é um diagnóstico histopatológico (estudo do tecido por patologista) obtido através de biópsia prostática guiada por ultrassom e realizada, preferencialmente, com sedação.  A biópsia prostática é solicitada pelo Urologista. Após a confirmação diagnóstica, o caso é analisado de forma detalhada e enquadrado em grupos de risco de recidiva tumoral, conforme tabela abaixo:

 Mais de 95% dos cânceres de próstata diagnosticados são adenocarcinomas restando 4,5% de carcinomas de células de transição e 0,5% de carcinomas neuroendócrinos.

Sintomas

        Na fase inicial o câncer de próstata geralmente é assintomático. Quando os sintomas aparecem são, normalmente, resultantes de doença avançada causada por metástase.

Tratamento

    O tratamento é individualizado e depende do estágio clínico e tumoral do paciente. A prostatectomia radical continua sendo o “padrão ouro” para pacientes com tumor localizado.

   A radioterapia externa é outro tratamento possível nestes casos assim como a braquiterapia (implante de sementes radioativas na próstata).

  A literatura urológica oferece para determinados pacientes duas novas opções de acompanhamento deste tumor. Uma opção é a observação do tumor ( Watchful-Waiting ) nos pacientes com limitada expectativa de vida, ou seja, somente intervir quando houver progressão da doença com sintomatologia. A outra opção é a vigilância ativa (Active Surveilance), oferecida para pacientes que, aparentemente, possuem tumor indolente e que concordam em manter o acompanhamento com PSA e toque retal trimestral, repetindo a biópsia prostática a cada 6 a 12 meses. Em caso de progressão de algum item acompanhado um tratamento definitivo é realizado.

  A prostatectomia radical hoje pode ser realizada da forma convencional retropúbica,  perineal,  laparoscopia ou através da técnica robótica.

Toda técnica cirúrgica possui suas vantagens e desvantagens. O paciente deve conversar com seu médico e decidir em conjunto o seu tratamento.

Pós- operatório

    Na cirurgia de Prostatectomia Radical a próstata é retirada em sua totalidade sendo necessário fazer uma anastomose (sutura ) entre a bexiga e a uretra. O paciente sai da cirurgia com uma sonda vesical que permanece por 10 a 21 dias. Um dreno aspirativo é posicionado no leito da cirurgia e permanece até que a drenagem diminua, geralmente de 2 a 7 dias. A internação varia normalmente entre 2 a 7 dias.

OBS: A previsão de tempo de internação e retirada de sonda pode variar.

Complicações

        As complicações devem ser divididas entre intra e pós-cirúrgicas. Durante a cirurgia pode ocorrer sangramento de maior vulto sendo necessário realizar transfusão sanguínea e perfuração de reto. As complicações pós-operatórias são:

• Infecção de ferida

•Infecção do trato urinário

•Fístula uretro-cutânea ou uretro-retal

•Deiscência de pontos da aponeurose,

•Estenose do colo vesical

Incontinência urinária

Impotência sexual

        Os principais fatores para a manutenção de uma boa ereção após a cirurgia são: a idade, o estado prévio de ereção e a preservação cirúrgica dos plexos neuro-vasculares.

        A incontinência urinária grave pode permanecer em cerca de 4% dos pacientes tratados.

OBS: Este site não tem o objetivo de substituir uma consulta. Procure um urologista.

Compartilhar:

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Fechar Menu